Agende já seu encontro com as Baleias Jubarte


A sensação de espreitar o horizonte em busca de baleias e a alegria e emoção ao ouvir alguém gritar: “Baleia”, são indescritíveis.

Chegamos à Costa das Baleias, com a ansiedade desse encontro, ao fim da temporada de avistagem de baleias.

Os tripulantes da lancha que nos conduzia ao encontro delas, diziam a todo momento: “Elas já foram, elas já foram.

Vocês vieram tarde demais”. Mas parece que o universo conspirava a nosso favor. Conseguimos avistar umas baleias retardatárias – na ida, uma mãe e seu filhote e na volta, o dorso de duas baleias – que nos deixou com vontade de quero mais.


Sabíamos que no dia anterior, um outro grupo de turistas foi brindado com showzinho particular das baleias. Nós não tivemos tanta sorte, mas, para nosso delírio, uma das baleias não se furtou a se despedir da costa brasileira, saudando-nos pelo menos com a cauda,  sua impressão digital. Isto é um prêmio para nós e para o Instituto Baleia Jubarte em Abrolhos, criado em 1.996, com o intuito de proteger a espécie. Eles monitoram as baleias por sua cauda, já que todas as baleias jubarte são pretas e a única parte de outra cor é a  localizada na parte de baixo da nadadeira caudal, que, branca, funciona como uma impressão digital, única, já que não existe uma igual à outra.


As baleias jubartes fogem do frio da Antártida à procura de águas pouco profundas, temperaturas mais  amenas e águas tranqüilas. Em Abrolhos, no litoral da Bahia, encontram as condições perfeitas para se acasalarem e dar à luz a um único filhote, que toma até 100 litros de leite por dia, para que possa atingir o aumento do peso esperado, de até 35 quilos por semana.


Elas chegam à região todos os anos, permanecendo lá de julho a novembro. Formam grupos de 3 a 8 animais e dentre as 79 espécies de cetáceos existentes, são as únicas que cantam, e, por isso são conhecidas como “baleias cantoras”.


Não resta dúvida que a grande vedete da região é a baleia Jubarte e suas peripécias, mas a Costa das Baleias nos reservas muitas outras atrações imperdíveis.

Desde o seu descobrimento, muitos aventureiros penetraram a região através de seus rios, em busca de ouro, prata e pedras preciosas. Mais de  500 anos se passaram, e o cenário dessa região ainda é quase o mesmo dos seus primórdios. Lá continuam as mesmas nuvens, ventos, o céu e o mesmo mar testemunhando a beleza de contornos de praias brancas, onde deságuam os mesmos rios. E é nessas praias que agora se praticam esportes náuticos. Continuam lá áreas verdes de matas e de mangues, e as barreiras calcárias de tons marrom, amarelo e rosa.

O mais interessante é que toda e qualquer praia dessa Costa tem uma fonte de água doce em algum canto, seja na forma de uma cascata, seja uma lagoinha ou mesmo um pequeno rio.

Nesta época, o fenômeno da maré faz com que a água do mar se misture com a areia e a cor da água fique num tom marrom, com azul ao fundo. Mas nos meses seguintes, a água vai se tornando cada vez mais azul, encantando os olhos com a diversidade de tons.

As ruas no estilo colonial, com suas calçadas estreitas de paralelepípedos abrigam casarios antigos e charmosos, que hoje se converteram em residências, lojas e barzinhos, com restaurantes de primeira linha. Os sobrados conservam fachadas revestidas de azulejos vindos do Reino e os nomes das vilas e cidades são portugueses. As comunidades preservam sua identidade cultural, com culinária típica, artesanato próprio e tradições revisitadas.

Uma das atrações mais aguardadas, sempre é a do Arquipélago de Abrolhos, refúgio e berçário das baleias jubarte. Os recifes de corais sob as águas rasas e azuis são diferenciados e endêmicos da região. Em 1983, as cinco ilhas de origem vulcânica e o recife de Timbebas foram legalmente protegidos com a criação do Parque Nacional Marinho de Abrolhos, que recebe atualmente milhares de visitantes atraídos pela beleza de sua paisagem oceânica.

Arquipélago de Abrolhos
Em 1503 a expedição do descobridor italiano Américo Vespúcio passou por essa região e anotou na carta de navegação a seguinte frase: “Quando te aproximares da terra, abre os olhos”. Daí surgiu o nome de Abrolhos, para designar uma área cheia de recifes de corais, com cinco ilhotas de origem vulcânica, localizada a cerca de 62 km da costa da cidade de Nova Viçosa, formada por cinco ilhas: Santa Bárbara, Redonda, Siriba, Sueste e Guarita. Junto com o Parcel de Abrolhos, a leste, e o recife das Timbebas, a noroeste, compõem o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, que foi o primeiro a ser criado no Brasil, em 6 de abril de 1983.

O Parque abrange área total de 913 quilômetros, dos quais 110 formam a do Recife das Timbebas. A região possui águas cristalinas e mornas, entre 24º e 29º C, que constituem um ambiente ideal para cerca de 19 espécies de corais, inclusive o Coral Cérebro (Mussismilia brasiliensis), endêmico de Abrolhos. Os recifes crescem em colunas, com a forma de imensos cogumelos, denominados “Chapeirões”, que se erguem a 20 metros de altura com arcos na superfície de até 50 metros de diâmetro.

Dentro destas verdadeiras piscinas de águas quentes e de coloração azul-turquesa transitam peixes de todos os tipos, cores e tamanhos. Tivemos a sorte de ver peixes budião, atualmente em extinção, papagaio, palhaço, cofre, e, pasmem,cações, tão ligeiros que não dá para dizer se eram quatro ou se eram dois, passando repetida e freneticamente de um lado para outro.

abrolhostartarugarespiraAs tartarugas são um espetáculo à parte. Tentamos seguir as instruções do guarda-parque Felipe, que nos alertou para não encará-las, evitando um stress. Mas confesso que era irresistível uma tentativa de aproximação para observar seus hábitos e comportamento. Elas sobem esporadicamente à superfície, para respirar (foto à direita).


A variedade de aves que povoam a ilha não é muito grande , mas a tranquilidade com que permitem uma aproximação é fantástica. Os atobás são maioria. Os filhotes passam por fases de plumagem. Na primeira, parecem bichinhos de pelúcia. Na fase seguinte, as plumagens no tom marron, os tornam uns adolescentes desengonçados. Na última fase, se tornam aves lindas e tranqüilas.


Os passeios de barco que levam às ilhas de Abrolhos saem das cidades de Caravelas, Alcobaça e Nova Viçosa.


A Costa das Baleias está situada no litoral extremo sul do Estado da Bahia e compreende os municípios de Prado, Alcobaça, Caravelas, Nova Viçosa e Mucuri. Abaixo um resumo de cada uma delas.


Prado

O município de Prado é o que dispõe de maior infra-estrutura turística na região. Imponentes falésias em tons de rosa e marrom, variados e de rara beleza, praias mansas de águas quentes e convidativas, recifes de corais, coqueirais e piscinas naturais intercalam-se com planícies, em seus 84 quilômetros de litoral.

tororaoPrado era uma aldeia de índios aimorés situada às margens do rio Jucuruçu. No centro histórico da cidade, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Purificação, construída em 1876, divide as atenções ao lado do “Beco das Garrafas”, onde o turista encontra uma grande variedade de bares e restaurantes em meio à arquitetura do século XIX.


Para quem gosta de ecoturismo este é o lugar ideal. Prado possui áreas de proteção como a Praia de Corumbau, onde um pontal de 2 quilômetros de extensão forma recifes e pontas de areia quando a maré vaza.


A praia de Cumuruxatiba também surpreende com sua maré baixa, quando barcos e árvores que antes estavam sobre o mar aparecem imóveis sobre a areia.


Além do balneário de Cumuruxatiba, a queda d’água do Tororão e a aldeia de pescadores de Corumbau  estão entre as mais disputadas atrações do município de Prado.

Alcobaça
A vila de Alcobaça, originalmente chamada “Arraial de Itanhém”, foi fundada, em 1772, às margens do Rio Itanhém. A cidade, um dos portões de entrada ao Parque Nacional Marinho de Abrolhos, mantém casarios coloniais, ruas estreitas e arborizadas.
Caravelas
Erguida entre os rios Caravelas, Macaco e Caribe, em 1882, recebeu uma estrada de ferro que escoava madeira do norte de Minas Gerais à Ponta de Areia (BA), próximo a Caravelas. O desbravador mineiro Teófilo Otoni, em 1857, apelidou-a de “Princesinha de Abrolhos”, por ser o local mais próximo de Abrolhos.
Os azulejos portugueses estampados em seus casarios coloniais e ruas feitas de pedra registram um pouco da história desta cidade. Conta com infra-estrutura para quem mergulha e pratica o ecoturismo.

Mucuri

Primeira cidade do litoral baiano é a porta de entrada para as paradisíacas praias da Costa das Baleias. Índios botocudos, aimorés e pataxós, habitavam a região em torno do rio Mucuri e Todos os Santos antes da chegada dos descobridores. Conhecida como Costa Dourada, a extensa faixa litorânea de Mucuri é repleta de falésias que chegam a atingir 15 metros de altura. A areia dourada das falésias, junto ao mar de águas limpas e cristalinas, proporciona ao turista um espetáculo de ouro ao nascer do sol.

Os recifes de corais, golfinhos e tartarugas, também chamam a atenção do turista neste ecossistema ideal para quem busca descanso em meio ao charme e belezas naturais.


Nova Viçosa

Nova Viçosa foi fundada em 1720 pelo capitão das conquistas João Domingos Monteiro. As construções coloniais e quilombolas unem a diversidade cultural deste município da Costa das Baleias. A faixa litorânea que se estende por 32 quilômetros de praias, reserva a beleza dos quase 300 metros de maré baixa.

Suas águas atingem visibilidade de até 15 metros nas águas claras dos recifes da Ilha da Coroa Vermelha proporcionando bons mergulhos. O Museu Krajcberg e o patrimônio artístico-cultural da cidade compõem o cenário de Nova Viçosa.


Serviço:

Distância de Porto Seguro: 206 quilômetros
Distância de Salvador: 822 quilômetros
Tipo climático: úmido e subúmido
Temperatura média anual: 30,3º C máx e 20,6º C min – média 24,2º C
Hospedagem:
Pousada Ponta de Areia:
Avenida Beira Mar S/nº – Praia do Coqueiral – Prado
(73)3298-1313
www.pousadapontadeareia.com.br

Pousada Guaratiba
Rua Seis, 25 • Novo Prado • Prado, BA
 (73) 3298-1514  (73) 3298-1514
 (73) 3298-1514  (73) 3298-1514
reservas@pousadaguaratiba.com.br 

Residencial Pelourinho

Rod. Prado-Alcobaça, km 10 – Balneário Praia de Guaratiba
 (73) 3021 0627  (73) 3021 0627
info@residencialpelourinho.com.br
 
Pousada Recanto do Prado

Rua IV, Quadra I, nº 2 – Bairro Novo Prado – Prado BA
 (73) 3298 1447  (73) 3298 1447  (73) 3298 1447

Pousada Novo Prado
Rua Seis, 91 – Bairro Novo Prado – Prado BA
 (73) 3298 1455  (73) 3298 1455 (73) 3298 1455
novoprado@terra.com.br

La Isla EcoResort
Pier de Embarque: Rua São Benedito – Cais do Turista- Centro – Prado BA
central de reservas:  (31) 3519 9393  (31) 3519 9393
 (73) 3298 4600  (73) 3298 4600
reservas@laislabahia.com  http://www.laislabahia.com

Hotel Praia da Paixão
Estrada Prado x Cumuruxatiba. km 12
 (73) 3298 1316  (73) 3298 1316
(73) 3298 1316
hotelpraiadapaixao@hotmail.com
http://www.praiadapaixao.com.br/

Villagio Guaratiba Resort
Rod. Prado-Alcobaça km 10 – Balneário Praia de Guaratiba
 (73) 3021 0675  (73) 3021 0675 (73) 3021 0675
hotelresort@praiadeguaratiba.com.br
http://www.praiadeguaratiba.com.br/home/index.php

Baleias Jubarte, encontro vocês no próximo ano.

About Dina Barile

Recebi o título de Doutora em Viajologia, depois de viajar por 134 países e pisar em todos os continentes. Sou a primeira e única mulher brasileira a ter estado na ESTRATOSFERA. Experimentei a Culinária de todos os países por onde passei. Expert nos temas Turismo, Gastronomia e Beleza, convido todos os leitores para um Passeio Turístico e Gastronômico por todos os Continentes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*