Confira como foi a segunda noite de desfiles de 2017 no Camarote do Bar Brahma SP

No segundo dia do Camarote Bar Brahma, o sambista Arlindo Cruz foi a grande atração. Amante do samba e da cultura popular desde seus sete anos de idade, Arlindo se apresentou no espaço VIP em 2012 e voltou ao Camarote Bar Brahma em 2017 com um repertório diversificado. Canções como ‘O Show Tem Que Continuar’, ‘Bagaço de Laranja’ e ‘Meu Lugar’ fizeram parte de seu show, além de ‘Festa do Arraiá’, enredo de Vila Isabel em 2013, ano em que Arlindo Cruz foi parceiro da escola.

Convidados, celebridades, clientes e VIPs  desfrutam de grandes experiências, com muito conforto e segurança no espaço. Com serviço All Inclusive, traz ampla variedade de comidas e bebidas, shows exclusivos e vista privilegiada do Sambódromo.

Na área VIP do Camarote do Bar Brahma, muitas celebridades (fotos abaixo) acompanharam os desfiles de uma posição privilegiada e muito confortável. Além da madrinha do espaço, Andreia Horta, os irmãos Daniele e Daniel Hypolito, Viviane Araújo, Ellen Roche, Laura Müller, Amanda Françozo, Adriana Birolli, Júlio Rocha, o ex BBB Jonas e a noiva Mari Gonzales, e tantos outros. As fotos menores mostram flagrantes, dentro e fora,  do Camarote Bar Brahma.

A segunda noite de desfiles do Grupo Especial de São Paulo trouxe ao Sambódromo do Anhembi, na zona norte da capital paulista, sete escolas de samba: Mancha Verde, Unidos do Peruche, Império da Casa Verde, Dragões da Real, Vai-Vai, Nenê de Vila Matilde e Rosas de Ouro

1. De volta à elite do samba paulista, a  MANCHA VERDE abriu o segundo dia de desfiles. A escola desfilou os “Zés” do Brasil: do diretor de teatro Zé Celso ao ator José Wilker, passando pelo personagem Zé Carioca e o escritor Monteiro Lobato (cujo nome é José Bento Renato Monteiro Lobato), e até Tiradentes (Joaquim José da Silva Xavier), entre outros. A Mancha nasceu como um bloco de torcedores do Palmeiras na década de 1990 e estreou como escola de samba em 2000.

Na noite deste sábado, a escola levou para a avenida cinco carros e 3.200 componentes.
Sem alas coreografadas, apostou nos carros alegóricos, com muitas esculturas que se movimentavam,
efeitos de luz e espalhando fumaça e papel picado para o público.

 

Viviane Araújo desfilou pela 13a vez na Mancha Verde, como madrinha de bateria. Desta vez, inovou na fantasia, toda dourada de relicário e com uma longa peruca cacheada, sem o tradicional costeiro que as rainhas costumam levar. Depois de desfilar, Viviane aproveitou o espaço VIP do Camarote do Bar Brahma.

 

Na bateria, os 240 ritmistas foram conduzidos pelo Mestre Maradona, que, aos 25 anos, é o mais jovem no Grupo Especial do carnaval de SP. Campeã do Grupo de Acesso de 2015 e 12º lugar no Especial do ano passado, levou para o sambódromo paulista uma homenagem a Salvador.

                                                                                       ‘

2. Com o enredo ‘A Peruche no maior axé, exalta Salvador, cidade da Bahia, caldeirão de raças, cultura, fé e alegria’, a UNIDOS DO PERUCHE mostrou os índios tupinambás, a cultura, a culinária e as práticas religiosas de Salvador e a chegada dos portugueses no litoral do Estado.

Baianos famosos foram lembrados do início ao fim do desfile: Dorival Caymmi, Gil, Caetano, Raul Seixas, Claudia Leitte e Ivete Sangalo. Desfilaram com 20 alas, cinco carros alegóricos e 2.800 integrantes. O início foi difícil pois houve dificuldade para empurrar dois carros carros alegóricos grandes para a avenida. Foi muita correria e esforço, mas a escola terminou o desfile a tempo.
 
O carro abre-alas soltou dois mil balões em forma de pombas brancas no Anhembi, trazendo emoção e mensagem de paz ao Anhembi.

 

Pri Santanna, a musa fitness  usou uma fantasia minúscula, com detalhes em dourado, para exaltar seus atributos físicos como madrinha de bateria.

                                                                                                                                ‘

3. Atual campeã, a IMPÉRIO DE CASA VERDE apresentou um enredo que fala da paz em uma nova era, além de falar sobre a chegada de um império de paz ao mundo. A escola falou sobre o equilíbrio entre o homem e as forças da natureza. Conhecida por ter carros alegóricos grandiosos, a escola manteve a tradição e desfilou com carros luxuosos.

O carro de abre-alas, com o tigre (símbolo da escola) alado e a coroa da escola, foi composto por três partes, somando 60 metros de comprimento e 15 metros de altura.

 

A escola desfilou entre 19 alas com 2.400 integrantes, porém dois dos principais, o 1o casal demestre-sala e porta-bandeira, Rodrigo e Jéssica, passaram mal e precisaram ser socorridos na dispersão. Jéssica foi levada para um ambulância – a roupa dela pesava quase 40 quilos. Suas fantasias representavam anjos.

 

Lívia Andrade, madrinha de bateria da Império de Casa Verde, foi um destaque do desfile, usando lentes de contato brancas. Ela disse que se tratava de “soberania angelical”.

                                                                                                                             ‘

4. A DRAGÕES DA REAL apresentou um enredo inspirado na música Asa Branca, de Luiz Gonzaga, para falar do Nordeste. O samba-enredo baseado no clássico da MPB conquistou o público. Fundada no ano 2000, a Dragões, 6a colocada no ano passado,  teve origem na torcida organizada do São Paulo e é a escola mais nova do Grupo Especial.

O cantor Fagner abriu o desfile cantando um trecho de Asa Branca, e o ator Chambinho do Acordeon, que interpretou Luiz Gonzaga no cinema, desfilou no carro sobre a cultura nordestina. A escola desfilou em 19 alas, cinco carros e 2.800 componentes.

As fantasias foram feitas com elementos trazidos do Nordeste, especialmente para o desfile, como chapéus da Paraíba e palha de Juazeiro da Bahia.

A terceira porta-bandeiras da Dragões da Real, Giulia Guimarães, também passou mal e saiu de ambulância do Anhembi.

As celebridades acompanhavam os desfiles com todo conforto e mordomia na área VIP do Camarote. Para decepção da ala masculina, muitas beldades femininas estavam acompanhadas.

Laura Müller, a sexóloga do programa “Altas Horas‘, assumiu novo relacionamento no Camarote do Bar Brahma. O eleito é o artista plástico Marcos Faria. Muito assediada, ela atendeu a pedidos de fãs, tirando fotos ou respondendo perguntas.

A atriz Adriana Birolli também embelezou o camarote na companhia do noivo. Quem também marcou presença, acompanhada do namorado, foi Amanda Françozo.

   

                                                                                                                                     ‘

5. A VAI-VAI é a escola que conta com mais títulos no carnaval paulistano, e neste ano, em que celebram os 30 anos da morte da Mãe Menininha do Gantois, Maria Escolástica da Conceição Nazaré, a escola homenageou a mãe de santo, considerada uma das grandes divulgadoras do candomblé no Brasil e no mundo.

Para essa homenagem, figuras reconhecidas compareceram ao desfile: o ex-jogador de futebol Cafu, capitão do penta, o ator Milton Gonçalves, que fez um discurso emocionante de abertura, e a atual Miss Brasil, Raissa Santana, que desfilou no carro abre-alas, apresentando a criação do universo.

O último carro alegórico molhou a pista e gerou protesto da escola seguinte, a Nenê de Vila Matilde, cujo presidente reclamava de que o chão oferecia risco. A Nenê só se apresentou na avenida, após uma limpeza e algumas discussões.

Quem acompanhou a escola do Camarote do Bar Brahma foram as irmãs Ana Paula e Tati Minerato.

                                                                                                          ‘

6. O desfile da NENÊ DE VILA MATILDE começou com uma hora de atraso, pois o chão se apresentava escorregadio, devido a um dos carros da Vai-Vai, que deixou o piso do sambódromo molhado. Uma das escolas mais antigas de São Paulo, o enredo deste ano foi ‘Ópera de Todos os Povos, Terra de Todas as Gentes, Curitiba de Todos os Sonhos’ e contou a história e o legado artístico de Curitiba.

A escola levou para a avenida um barco representando a chegada dos imigrantes em Curitiba. A alegoria teve a presença do ex-jogador de vôlei Giba.

Celebridades curitibanas foram lembradas ao longo do desfile da Nenê de Vila Matilde, entre elas, o poeta Paulo Leminski e a youtuber Kéfera Buchmann.

O tema da ala das baianas trazia ipês e azaléas. Com uma ala que mostrou corredores de ônibus, o transporte curitibano também foi lembrado na avenida.

O desfile foi acompanhado no Camarote do Bar Brahma pelos irmãos Diego e Daniele Hypolito.

                                                                                    ‘

7. A ROSAS DE OURO, sete vezes campeã do carnaval de São Paulo, encerrou os desfiles, entrando no Sambódromo, por volta de 7 horas da manhã. O enredo foi ‘Convivium — sente-se à mesa e saboreie’ e contou a história do banquete, falando sobre o convívio à mesa e importância da refeição em família e com os amigos.

O grande destaque do desfile deste ano foi um casamento no sambódromo. A presidente da Rosas de Ouro, Angelina Basílio, e o gerente comercial Sérgio Correia Ferreira receberam benção de um pai de santo e assinaram uma união estável antes da escola entrar na avenida.

Outro destaque foi quinto e último carro do desfile, que falava sobre cozinhar com amor e teve a participação de chefs com síndrome de Down.

A Rainha de Bateria Ellen Roche (na foto à direita) curtiu muito o espaço do Camarote do Bar Brahma.

A escola também se destacou, prestando uma homenagem ao ambulante Luis Carlos Ruas, morto na noite de Natal de 2016, tentando defender um morador de rua homossexual.

Se você gostou do que viu e leu, os ingressos continuam à venda para o desfile das Campeãs, pelo site da Total Acesso, (www.totalacesso.com) e custam de R$ 590 a R$ 1990.

Os valores das entradas podem ser divididos em até 10 vezes, sem acréscimo, pelos cartões de crédito das bandeiras Visa e Mastercard.

Os foliões que forem ao camarote em grupos de quatro, cinco ou seis pessoas terão descontos especiais nas compras – de 8%, 12% e 15%, respectivamente.

Se você ainda está em dúvida, tem mais um atrativo para lhe convencer. Apesar da grande quantidade e variedade de comida, incluindo pizza, carne, pipoca, sanduíches, comida japonesa, pastéis, etc que havia em vários espaços do Camarote Bar Brahma, quando os convidados decidiam ir embora, durante e/ou ao final dos desfiles,  podiam ainda desfrutar de um delicioso e farto café da manhã, que os aguardava no receptivo.

Confira como foi a primeira noite de desfiles de 2017 no Camarote do Bar Brahma SP

F o t o s: N e l s o n    A l m e i d a, D i n a   B a r i l e    e    C e s a r    A u g u s t o    H i p o l i t o
F á b i o    V i e i r a    e    A l i c e    V e r g u e i r o/E S T A D Ã O    C O N T E Ú D O

 

Serviço:
Camarote Bar Brahma São Paulo 2017

Realização: Diverti
Dias: 3 de março de 2017
Horário: a partir das 21hs
Local: Sambódromo do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1209 – Santana/SP)
Capacidade do camarote: 5 mil pessoas por dia
Censura: Não será permitida a entrada de menores de 18 anos.
Vendas: www.totalacesso.com
Valores: R$ 590,00 a R$ 1990,00
Telefone: (11)3224-1287

Facebooktwittergoogle_plusmail

About Dina Barile

Recebi o título de Doutora em Viajologia, depois de viajar por 127 países e pisar em todos os continentes. Sou a primeira e única mulher brasileira a ter estado na ESTRATOSFERA. Experimentei a Culinária de todos os países por onde passei. Expert nos temas Turismo, Gastronomia e Beleza, convido todos os leitores para um Passeio Turístico e Gastronômico por todos os Continentes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*