Prêmio Cesgranrio de Teatro – O melhor dos palcos de 2019

Prêmio Cesgranrio de Teatro acontece dia 28 de janeiro 

No dia 28 de janeiro, o Copacabana Palace abre suas portas para receber a 7ª edição do tradicional Prêmio Cesgranrio de Teatro. Este ano, a homenageada será Eva Wilma, que comemora 65 anos de carreira. A atriz fez parte da primeira turma do teatro de arena e atuou em peças como “Queridinha Mamãe”, pela qual recebeu o Prêmio Molière de melhor atriz em 1994. Ruth de Souza, primeira dama negra do teatro, receberá homenagem póstuma pelo trabalho realizado ao longo de 73 anos de carreira.

Os indicados das 12 categorias foram escolhidos pelo júri formado por Carolina Virgüez, Daniel Schenker, Jacqueline Laurence, Lionel Fischer, Macksen Luiz, Rafael Teixeira e Tânia Brandão. O Prêmio Cesgranrio de Teatro é o de maior remuneração aos artistas: cada vencedor levará R$ 25 mil para casa, totalizando R$ 300 mil em prêmios, além do troféu criado pelo artista plástico Yutaka Toyota.

Indicados Prêmio Cesgranrio de Teatro:

Melhor figurino:

. João Pimenta – (“Ao Som de Raul Seixas Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade”)

. Marcelo Marques (“Cole Porter – Ele Nunca Disse Que Me Amava”)

. Tiago Ribeiro (“Interior”)

. Ney Madeira e Dani Vidal (A Cor Púrpura – O Musical”)

. Marcelo Marques (“O Despertar da Primavera”)

. Ronaldo Fraga (“Nastácia”)

Melhor cenografia:

. Bia Junqueira (“Eu, Moby Dick”)

. Ana Teixeira e Stephane Brodt (“Jogo de Damas”)

. Rodrigo Portella e Julia Deccache (“As Crianças”)

. Ronaldo Fraga (“Nastácia”)

. Natália Lana (“A Cor Púrpura – O Musical”)

. André Cortez (“Sísifo”)

Melhor iluminação:

. Paulo César Medeiros (“As Crianças”)

. Renato Machado (“Eu, Moby Dick”)

. Renato Machado (“Jogo de Damas”)

. Rogério Wiltgen (“A Cor Púrpura – O Musical”)

. Renato Machado (“3 Maneiras de Tocar no Assunto”)

. Paulo César Medeiros (“O Despertar da Primavera”)

Melhor ator:

. Kiko Mascarenhas (“Todas as Coisas Maravilhosas”)

. Caio Scot (“Como Se Um Trem Passasse”)

. Mario Borges (“As Crianças”)

. Thelmo Fernandes (“Diário do Farol – Uma Peça Sobre a Maldade”)

. Leonardo Netto (“3 Maneiras de Tocar no Assunto”)

. Odilon Esteves (“Nastácia”)

Melhor ator em Teatro Musical:

. Patrick Amstalden (“Ao Som de Raul Seixas ‘Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade’”)

. Saulo Segreto (“Ao Som de Raul Seixas ‘Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade’”)

. Alan Rocha (“A Cor Púrpura – O Musical”)

Categoria especial:

. Ana Turra, Camila Schmidt e Rogério Velloso (pelo Set Design, videodesign, cenografia e iluminação de “Ao Som de Raul Seixas ‘Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade’”)

. Diego Teza (pelas traduções de “As Crianças”, ‘’Todas as Coisas Maravilhosas” e “Meninas e Meninos”)

. Celina Sodré (pelos 10 anos de atividades do Instituto do Ator)

. Bel Kutner (pela direção artística da Cidade das Artes)

. Marcia Rubim (pela direção de movimento de “3 Maneiras de Tocar no Assunto”)

. Valéria Monã (pela direção de movimento de “Oboró – Masculinidades Negras”)

Melhor atriz:

. Analu Prestes (“As Crianças”)

. Jéssika Menkel (“Cálculo Ilógico”)

. Claudia Ventura (“A Verdade”)

. Ana Beatriz Nogueira (“Relâmpago Cifrado”)

. Flávia Pyramo (“Nastácia”)

Melhor atriz em Teatro Musical:

. Kacau Gomes (“Ao Som de Raul Seixas ‘Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade’”)

. Evelyn Castro (“Quebrando Regras – O Musical – Um Tributo a Tina Turner”)

. Bel Lima (“Cole Porter – Ele Nunca Disse Que Me Amava”)

. Letícia Soares (“A Cor Púrpura – O Musical”)

. Flavia Santana (“A Cor Púrpura – O Musical”)

Melhor direção:

. Rodrigo Portella (“As Crianças”)

. Felipe Hirsch (“Antes que a Definitiva Noite se Espalhe em Latino América”)

. Daniel Herz (“Cálculo Ilógico”)

Melhor direção musical:

. Claudio Botelho (“Cole Porter – Ele Nunca Disse Que Me Amava”)

. Fabio Cardia e Jules Vandystadt (“Ao Som de Raul Seixas ‘Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade’”)

. Tony Lucchesi (“Quebrando Regras – O Musical – Um Tributo a Tina Turner”)

. Tony Lucchesi (“A Cor Púrpura – O Musical”)

. Marcelo Castro (“O Despertar da Primavera”)

. Fabiano de Freitas (“3 Maneiras de Tocar no Assunto”)

. Miwa Yanagizawa (“Nastácia”)

. Marcio Abreu (“Por que não vivemos?”) 

Melhor texto nacional inédito:

. Luciana Pessanha (“Os Desajustados”)

. Márcia Zanelatto (“Ao Som de Raul Seixas ‘Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade’”)

. Jéssika Menkel (“Cálculo Ilógico”)

. Leonardo Netto (“3 Maneiras de Tocar no Assunto”)

. Miriam Halfim (“Freud & Mahler”)

Melhor espetáculo:

. “As Crianças”

. “Todas As Coisas Maravilhosas”

. “Cálculo Ilógico”

. “3 Maneiras de Tocar no Assunto”

. “A Cor Púrpura – O Musical”

. “Diário do Farol – Uma Peça Sobre a Maldade”

About Dina Barile

Recebi o título de Doutora em Viajologia, depois de viajar por 134 países e pisar em todos os continentes. Sou a primeira e única mulher brasileira a ter estado na ESTRATOSFERA. Experimentei a Culinária de todos os países por onde passei. Expert nos temas Turismo, Gastronomia e Beleza, convido todos os leitores para um Passeio Turístico e Gastronômico por todos os Continentes.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*