Treinamento cerebral: mais que um conceito, uma realidade

nb1cermelhorPor Luiz Moraes*

Conhecido por celebrar o Dia Mundial da Saúde, o dia 07 de Abril marca a data da criação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

E, com ela começaram a surgir as grandes discussões e reflexões sobre as condições de saúde, o saneamento básico, e tudo o que engloba o bem-estar.

Desde então, esta entidade internacional já passou por diversas etapas, desde a definição de uma série de termômetros e padrões de níveis de saúde, pesquisas e até projetos envolvendo os governos dos países.

Com o passar dos anos, as grandes empresas também entraram no movimento, passando a se preocupar com a saúde dos colaboradores. Foram criadas as condições de trabalho, os planos assistenciais, e as semanas dedicadas somente à promoção da saúde.

Foi então que a preocupação das semanas da saúde deixou de ser apenas com doenças físicas e virais, como alguma LER (lesão por esforço repetitivo) ou uma simples gripe, e passaram a ressaltar a importância que o stress tem no cotidiano do profissional. Noites mal dormidas, pressão, falta de relaxamento, tudo refletindo no desempenho dos colaboradores.

Preocupação essa que se estendeu até ao mais importante órgão do corpo humano, o cérebro. Saber a quantas anda a capacidade emocional e cognitiva dos profissionais tornou-se uma ferramenta importantíssima para maximizar os resultados dos profissionais e das organizações.

Atualmente, empresas renomadas e referências em seus segmentos, como a Petrobras e a Roche, investem em atividades que estimulam os seus colaboradores a desenvolverem suas capacidades cognitivas, como memória, atenção, raciocínio lógico, linguagem e visão espacial, através de exercícios e desafios para o cérebro.

Esse é um conceito que está à mesa e ao alcance das organizações, basta que estas implementem nos seus programas de qualidade de vida e desenvolvimento de recursos humanos ferramentas de estímulo cognitivo disponíveis no mercado para aumentar o desempenho profissional e o bem-estar, promovendo uma verdadeira valorização do capital intelectual, ou seja, do cérebro dos seus colaboradores.

*Luiz Moraes é sócio-fundador do Cérebro Melhor, portal referência em treinamento cerebral via jogos online

About Dina Barile

Recebi o título de Doutora em Viajologia, depois de viajar por 134 países e pisar em todos os continentes. Sou a primeira e única mulher brasileira a ter estado na ESTRATOSFERA. Experimentei a Culinária de todos os países por onde passei. Expert nos temas Turismo, Gastronomia e Beleza, convido todos os leitores para um Passeio Turístico e Gastronômico por todos os Continentes.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*